Time capsule – Smokey Robinson, “Cruisin'” (1979)

Smokey Robinson: apesar de ter feito considerável sucesso tanto com seu primeiro grupo, a banda The Miracles, quanto em sua carreira solo, além do belo trabalho "por trás dos holofotes" na condição de produtor e eventual vice-presidente da lendária gravadora Motown, o compositor e cantor norte-americano ainda hoje é mais conhecido por seu grande hit soul-romântico "Cruisin'" (1979)Smokey Robinson: apesar de ter feito considerável sucesso tanto com seu primeiro grupo, a banda The Miracles, quanto em sua carreira solo, além do belo trabalho "por trás dos holofotes" na condição de produtor e eventual vice-presidente da lendária gravadora Motown, o compositor e cantor norte-americano ainda hoje é mais conhecido por seu grande hit soul-romântico "Cruisin'" (1979)

Smokey Robinson: apesar de ter feito considerável sucesso tanto com seu primeiro grupo, a banda The Miracles, quanto em sua carreira solo, além do belo trabalho “por trás dos holofotes” na condição de produtor e eventual vice-presidente da lendária gravadora Motown, o compositor e cantor norte-americano ainda hoje é mais conhecido por seu grande hit soul-romântico “Cruisin'” (1979)

Apesar de ter feito considerável sucesso tanto com seu primeiro grupo, a banda de soul e R&B The Miracles, quanto em sua carreira solo, além do belo trabalho “por trás dos holofotes” na condição de produtor e eventual vice-presidente da lendária gravadora Motown, o compositor e cantor norte-americano Smokey Robinson ainda hoje é mais conhecido por seu grande hit soul-romântico “Cruisin’” (1979). Presente no disco Where There’s Smoke…, a canção foi regravada um número considerável de vezes, incluindo versões utilizadas em filmes hollywoodianos (qualquer hora entra no Originais & Originados deste blog), e até hoje é uma das mais imediatas referências quando se fala no artista. Antes de qualquer coisa, no entanto, a música é uma baita canção pop que merece ser relembrada hoje e sempre. Enjoy!

Smokey Robinson – Cruisin’ (1979)

Baby, let’s cruise away from here
Don’t be confused, the way is clear
And if you want it you got it forever
This is not a one night stand, babe, yeah
So let the music take your mind, whoa
Just release and you will find

Your gonna fly away, glad your going my way
I love it when we’re cruisin’ together
The music is playing for love
Cruisin’ is made for love
I love it when we’re cruisin’ together

Babe, tonight belongs to us
Everything’s right, do what you must
And inch by inch we get closer and closer
To every little part of each other
Ooh, babe, yes
Let the music take your mind, babe
Just release and you would find

Your gonna fly away, glad you’re going way
I love it when we’re cruisin’ together
Music is playin’ for love
Cruisin’ is made for love
I love it when we’re cruisin’ together

(Cruise with me, babe)

(Cruise with me, babe)

Cruuuuuuuuuise

Oh, oh, babe, yeah
Oooooh, babe
Oooooh, ooooooh
Aaaah, Babe
So good to cruise with you, babe
So good to cruise with you
Ooooooh, yeah
You need me, babe
Aaaaah, babe loves crusin’
Let’s flow, let’s glide
Ooooh let’s open up, and go inside
And if you want it you got it forever
I can just stay there inside you
And love you, babe, oh
Let the music take your mind
Just release and you would find

Your gonna fly, yeah, glad you’re going way
I love it when we’re cruisin’ together
The music is for love, cruisin’ is made for love
I love it when we’re cruisin’ together
Oh, babe
We gonna fly away
Ohhh, yeah
Plan to go my way
I love it when we’re cruisin’ together
The music is for love, cruisin’ is made for love
I love it, I love it, I love it, I love it

Anúncios

Time capsule – Mungo Jerry – “In the Summertime” (1970)

Mungo Jerry: a banda setentista de blues rock foi colocada no mapa pelo hit "In the Summertime", música que acabaria eclipsando tudo mais que os músicos produzissem depois

Mungo Jerry: a banda setentista de blues rock foi colocada no mapa pelo hit “In the Summertime”, música que acabaria eclipsando tudo mais que os músicos produzissem depois

Fora da Inglaterra, sua terra natal, a banda setentista de blues rock Mungo Jerry (que nome!) é conhecida quase que exclusivamente por seu único hit, “In the Summertime” – um belo exemplo daquilo que costuma-se chamar de “one-hit wonder”. Embora o grupo liderado pelo compositor, guitarrista e vocalista Ray Dorset tenha sido musicalmente sólido e registrado uma produção consistente ao longo de toda a década de 1970, foi mesmo a despretensiosa e divertida canção que celebrava as delícias do verão que colocou a banda nos anais da música – a faixa é conhecida até hoje, mesmo por ouvintes nascidos bem depois da época em que ela foi lançada -, ao mesmo tempo em que eclipsou para a grande audiência tudo mais que os músicos fizessem depois.

 

Mungo Jerry – In the Summertime (1970)

In the summertime when the weather’s high,
You can stretch right up and touch the sky,
When the weather’s fine,
You got women, you got women on your mind.
Have a drink, have a drive,
Go out and see what you can find.
If her daddy’s rich, take her out for a meal.
If her daddy’s poor, just do what you feel.
Speed along the land,
Do a ton, or a ton and twentyfive.
When the sun goes down, you can make it,
Make it good in a lay-by.
We’re not grey people, we’re not dirty, we’re not mean.
We love everybody, but we do as we please.
When the weather’s fine
We go fishing or go swimming in the sea.
We’re always happy,
Live’s for living, yeah, that’s our philosophy.
Sing along with us, dee-dee-dee-dee-dee.
Da-da-da-da-da…
Yeah, we’re happy happy, da-da-da-da-dah.
When the winter’s here, then it’s party time.
Bring a bottle,
Wear your bright clothes. it’ll soon be summertime.
And we’ll sing again,
We’ll go drivin’ or maybe we’ll settle down.
If she’s rich, if she’s nice,
Bring you’re friends and we’ll all go into town.

Time capsule – Al Green – “Let’s Stay Together” (1972)

Al Green: "Let's Stay Together" (1972) foi a primeira canção do cantor a atingir o topo das paradas - ficando ali por nove semanas consecutivas

Al Green: “Let’s Stay Together” (1972) foi a primeira canção do cantor a atingir o topo das paradas – ficando ali por nove semanas consecutivas

Let’s Stay Together“, faixa de abertura do homônimo quarto álbum de estúdio de Al Green (Let’s Stay Together, 1972), foi a primeira canção do cantor a atingir o topo das paradas – ficando ali por nove semanas consecutivas. Apesar de ter aparecido relativamente tarde em sua discografia, até hoje a música é meio que um resumo/lembrete da contribuição desse grande representante do soul dos anos 1970 para a história da música. E um lembrete/resumo dos mais românticos…

Al Green – Let’s Stay Together (1972)

I’m, I’m so in love with you
Whatever you want to do
It’s alright with me
‘Cause you make me feel so brand new
And I want to spend my life with you
Ain’t the same since, baby, since we’ve been together
Ooh, loving you forever
Is what I need
Let me be the one you come running to
I’ll never be untrue

Ooh, baby, let’s, let’s stay together

Loving you wheather, wheather times are good or bad, and I’m happy or sad
Wheather times are good or bad, and I’m happy or sad

Why somebody, why people want break up?

Oh, turn around and make up
I just can’t see
You’d never do that to me (Would you, baby?)
So being around you is all I see
Is what I want us to
Let’s, we ought to stay together
Loving you wheather, wheather times are good or bad, and I’m happy or sad

Let’s, let’s stay together

Loving you wheather, wheather times are good or bad, happy or sad

Time capsule – Live – “Pain Lies on the Riverside” (1991)

A banda Live em foto de Lori Woehler: sabe-se lá por que, o grupo sempre ficou à sombra de seus contemporâneos sob as lentes da música pop

A banda Live em foto de Lori Woehler: sabe-se lá por que, o grupo sempre ficou à sombra de seus contemporâneos sob as lentes da música pop

Essa Time capsule vem repleta do espírito noventista que me contaminou depois que fui escalado pra fazer uma mixtape sobre a década. Infelizmente tive que deixar essa aí de fora, por limitações de tempo (embora tenha feito justiça à banda escolhendo um outro hit deles).

A faixa de abertura do debute em disco do LiveMental Jewelry (1991) -, quarteto norte-americano que ficou conhecido por fazer um rock alternativo diferente e meio “espiritualizado” em plena era do grunge, é uma baita canção. “Pain Lies on the Riverside” é quase épica, maníaca, desesperada e diferente de quase tudo o que estava sendo produzido na época.

Sabe-se lá por que, o grupo sempre ficou à sombra de seus contemporâneos sob as lentes da música pop. Vamos corrigir esse erro aqui?

Live – Pain Lies on the Riverside (1991)

I have never taken Life
Yet I have often paid the price
And you, you are a victim of this age
And the guilt that hangs around your neck
Has got me locked up in a cage

You’ve got to learn to live until no end
But first you must learn to swim
All over again
Because…

Pain lies on the riverside
And Pain will never say goodbye
Pain Lies on the Riverside
So put you feet in the water
Put your head in the water
Put your soul in the water
And join me for a swim tonight

I have forever, always tried
To stay clean and constantly baptized
I am aware that the river’s banks are dry
And to wait for a flood
Is to wait for life

I’ve got to learn to live until no end
But first I must learn to swim all
Over again,
Because…

Pain lies on the Riverside.

Time capsule – T.S.O.L. (True Sounds of Liberty) – “Flowers by the Door” (1984)

T.S.O.L.: em 1984, na estreia de sua segunda formação, a banda californiana de pós-punk cunhou um amargo e romântico manifesto com "Flowers by the Door"

T.S.O.L.: em 1984, na estreia de sua segunda formação, a banda californiana de pós-punk cunhou um amargo e romântico manifesto com “Flowers by the Door”

Um amargo e romântico manifesto da banda californiana de pós-punk T.S.O.L. (de True Sounds of Liberty) em sua segunda encarnação. “Flowers by the Door” está no álbum Change Today?, de 1984, primeiro registro do grupo com o guitarrista e vocalista Joe Wood substituindo o antigo frontman e membro fundador Jack Grisham. Para muitos fãs, por conta da mudança na formação, o disco não representa o “genuíno” som da pouco conhecida (pelo menos por aqui) T.S.O.L.. Bobagem. É nada menos que um belo clássico obscuro, daqueles que você tem o prazer de descobrir por acaso. E se você ainda não conhecia, cortesia d’O musicólogo. 😉

T.S.O.L. – Flowers by the Door (1984)

All my life has been a dream
An endless nightmare it seems
Tonight’s the night, yes this is the end
You’ve heard it before, this is what I said

I think about gone yesterdays
All the things that people would say
Tonight’s the night, I’m gonna find the truth
Tonight’s the night. goodbye to you

Because I can’t take it anymore
No, I can’t make it anymore
Don’t say nothing cause baby there ain’t no more
Just leave your flowers by the door

You can’t see me now, cause I’m in the day
It’s all over, no one left to pay
I’m finally happy with no yesterday
I’m still alive, but I’m in the grave.

Time Capsule – The Del Vikings – “Come Go with Me” (1957)

The Del Vikings: "Come Go with Me" (1957) é uma das melhores canções da Era de Ouro do doo-wop

The Del Vikings: “Come Go with Me” (1957) é uma das melhores canções da Era de Ouro do doo-wop

The Del Vikings criou um maravilhoso clássico da Era de Ouro do doo-wop. Resolvi colocar primeiro uma versão mais contemporânea, retirada de um especial de TV sobre o gênero gravado nos anos 1980 ou 1990, porque gosto muito da vibe do show (embora ali a música seja executada por uma formação repleta de membros mais jovens). De qualquer maneira, na sequência, após a letra, tem a gravação original, de 1957. Ah, vale também conferir a versão desse maluco que grava as músicas sozinho, usando várias tracks com sua própria voz. Enjoy!

The Del Vikings – Come Go with Me (1957)

Love, love me darlin’
Come and go with me,
Please don’t send me
‘way beyond the sea;
I need you, darlin’,
So come go with me.

Come, come, come, come,
Come into my heart,
Tell me, darlin’,
We will never part;
I need you, darlin’,
So come go with me.

Yes, I need you,
Yes, I really need you,
Please say you’ll never leave me.
Well, say, you never,
Yes, you really never,
You never give me a chance.

Come, come, come, come,
Come into my heart,
Tell me, darlin’,
We will never part;
I need you, darlin’,
So come go with me.

Time capsule – Roy Orbison – “Running Scared” (1961)

Roy Orbison: Running Scared (1961)

Roy Orbison: “Running Scared” (1961)

Simples, bela, direto ao ponto e grandiosamente romântica! Uma balada do inigualável Roy Orbison em sua melhor forma.

 

Roy Orbison – Running Scared (1961)

Just runnin scared each place we go
So afraid that he might show
Yeah, runnin scared, what would I do
If he came back and wanted you

Just runnin scared, feelin low
Runnin scared, you love him so
Just runnin scared, afraid to lose
If he came back which one would you choose

Then all at once he was standing there
So sure of himself, his head in the air
My heart was breaking, which one would it be
You turned around and walked away with me