Time capsule – Little Eva – “The Locomotion” (1962)

Little Eva (1962): Do the Locomotion!

Little Eva (1962): Do the Locomotion!

 

Little Eva – The Locomotion (1962)

Everybody’s doin’ a brand-new dance, now
(Come on baby, do the Loco-motion)
I know you’ll get to like it if you give it a chance now
(Come on baby, do the Loco-motion)
My little baby sister can do it with me;
It’s easier than learning your A-B-C’s,
So come on, come on, do the Loco-motion with me.
You gotta swing your hips, now. Come on, baby.
Jump up. Jump back. Well, now, I think you’ve got the knack.
Now that you can do it, let’s make a chain, now.
(Come on baby, do the Loco-motion)
A chug-a chug-a motion like a railroad train, now.
(Come on baby, do the Loco-motion)
Do it nice and easy, now, don’t lose control:
A little bit of rhythm and a lot of soul.
So come on, come on, do the Loco-motion with me.
Move around the floor in a Loco-motion.
(Come on baby, do the Loco-motion)
Do it holding hands if you get the notion.
(Come on baby, do the Loco-motion)
There’s never been a dance that’s so easy to do.
It even makes you happy when you’re feeling blue,
So come on, come on, do the Loco-motion with me

Time capsule – Percy Sledge – “When a Man Loves a Woman” (1966)

Percy Sledge: "When a Man Loves a Woman" é muito provavelmente uma das canções mais românticas de que se tem notícia até hoje

Percy Sledge: “When a Man Loves a Woman” é muito provavelmente uma das canções mais românticas de que se tem notícia até hoje

Muito provavelmente uma das canções mais românticas de que se tem notícia até hoje.

Percy Sledge – When a Man Loves a Woman (1966)

When a man loves a woman
Can’t keep his mind on nothin’ else
He’ll trade the world
For the good things he’s found

If she’s bad, he can’t see it
She can do no wrong
Turn his back on his best friend
If he puts her down

When a man loves a woman
Spend his very last dime
Tryin’ to hold on to what he needs
He’d give up all his comforts
And sleep out in the rain
If she said that’s the way
It ought to be

Well this man loves a woman
I gave you everything I had
Tryin’ to hold on to your high class love
Baby, please don’t treat me bad

When a man loves a woman
Deep down in his soul
She can bring him such misery
If she plays him for a fool
He’s the last one to know
Lovin’ eyes can never see

When a man loves a woman
He can never do her wrong
He’d never want some other girl
Yes when a man loves a woman
I know exactly how he feels
‘Cause, baby, baby, baby
You’re my world

Originais & Originados – Wayne Cochran / Arthur Alexander (1962) x Pearl Jam (1999) – “Last Kiss” / “Soldier of Love (Lay Down Your Arms)”

Pearl Jam: versões "beneficentes" para canções de 1962 acabaram se tornando grandes hits da carreira da banda

Pearl Jam: versões “beneficentes” para canções de 1962 acabaram se tornando grandes hits da carreira da banda

Além de todas as propriedades das grandes canções que costumo citar na seção Originais & Originados deste blog, há ainda o fator “impulsionador” de carreira. Incontáveis artistas dos mais diferentes calibres e gêneros já recorreram a versões matadoras (ou nem tanto) de boas composições (quase sempre para um geração totalmente diferente da que escutou a original) para se lançar no mundo da música ou mesmo voltar do ostracismo comercial. Não estou dizendo que é exatamente esse o caso do Pearl Jam, até porque a história em questão se deu em um contexto absolutamente louvável. Mas, que ajudou a banda emérita da cena de Seattle a se manter em evidência durante um período consideravelmente árido, ajudou. Bem, relembremos:

Em junho de 1999, pouco tempo depois de lançar o inconstante Yeld e o registro ao vivo – inócuo em termos de discografia – Live on Two Legs, ambos de 1998, o Pearl Jam participou do No Boundaries: A Benefit for the Kosovar Refugees, disco beneficente lançado pela Epic Records para ajudar a levantar fundos para os refugiados albaneses da Guerra do Kosovo e que contou com músicos como Peter Gabriel, Neil Young, Rage Against the Machine entre outros. A participação da banda de Eddie Vedder, única a figurar duas vezes no álbum, consistiu em uma dupla de regravações de canções de 1962, ambas disponibilizadas ainda no Natal do ano anterior como um single especial para o fã-clube do grupo.

E as músicas escolhidas pelo PJ para contribuir – belas e encorpadas revisões de “Last Kiss“, de autoria do blueseiro branco Wayne Cochran (que havia ficado famosa mesmo só em 1964, com a versão de J. Frank Wilson and the Cavaliers) e “Soldier of Love (Lay Down Your Arms)“, do soulman Arthur Alexander (gravada também por ninguém menos que os Beatles – fãs confessos de Alexander – em 1963) – acabaram se tornando as faixas de maior sucesso do álbum, atraindo inegável atenção para a situação dos refugiados, mas também garantindo presença radiofônica maciça para a banda (até hoje é possível, ocasionalmente, topar com uma delas nas madrugadas das FMs mundo afora) e se consolidando, curiosamente (pelo contexto), como dois dos principais hits da carreira de um dos maiores expoentes do bom e velho grunge.

Mas, chega de papo! Hora de se jogar de ouvidos abertos em mais esse mergulho pela – muitas vezes cíclica – história da música pop.

ORIGINAL – WAYNE COCHRAN – LAST KISS (1962)

ORIGINADA – PEARL JAM – LAST KISS (1999)

ORIGINAL – ARTHUR ALEXANDER – SOLDIER OF LOVE (LAY DOWN YOUR ARMS) (1962)

ORIGINADA – PEARL JAM – SOLDIER OF LOVE (LAY DOWN YOUR ARMS) (1999)