Time Capsule – The Del Vikings – “Come Go with Me” (1957)

The Del Vikings: "Come Go with Me" (1957) é uma das melhores canções da Era de Ouro do doo-wop

The Del Vikings: “Come Go with Me” (1957) é uma das melhores canções da Era de Ouro do doo-wop

The Del Vikings criou um maravilhoso clássico da Era de Ouro do doo-wop. Resolvi colocar primeiro uma versão mais contemporânea, retirada de um especial de TV sobre o gênero gravado nos anos 1980 ou 1990, porque gosto muito da vibe do show (embora ali a música seja executada por uma formação repleta de membros mais jovens). De qualquer maneira, na sequência, após a letra, tem a gravação original, de 1957. Ah, vale também conferir a versão desse maluco que grava as músicas sozinho, usando várias tracks com sua própria voz. Enjoy!

The Del Vikings – Come Go with Me (1957)

Love, love me darlin’
Come and go with me,
Please don’t send me
‘way beyond the sea;
I need you, darlin’,
So come go with me.

Come, come, come, come,
Come into my heart,
Tell me, darlin’,
We will never part;
I need you, darlin’,
So come go with me.

Yes, I need you,
Yes, I really need you,
Please say you’ll never leave me.
Well, say, you never,
Yes, you really never,
You never give me a chance.

Come, come, come, come,
Come into my heart,
Tell me, darlin’,
We will never part;
I need you, darlin’,
So come go with me.

Anúncios

Time capsule – The Coasters – “Bad Blood” (1961)

The Coasters: resgatando  "Bad Blood" (1961), uma raridade do doo-wop

The Coasters: resgatando “Bad Blood” (1961), uma raridade do doo-wop dos anos sessenta

Uma das melhores músicas (e das mais difíceis de se encontrar na web) do quinteto de doo-wop The Coasters. Tive que subir a faixa eu mesmo no YouTube! Sente a pegada de “Bad Blood” (1961).


The Coasters – “Bad Blood” (1961)

Bad blood, bad blood
Well, she’s the kind of
Woman that will kiss you
Kiss you ‘till your lips
Are burned
But then she’s gonna
Kiss somebody else
The minute your back
is turned

The girl’s got bad blood
The girl’s got bad blood

I know her brother and
He’s rotten as he can
be, a-peeky-peeky
Well, I know her mother
And it runs
In the family

Well, she’s the kind of
Woman that will take you
Take the money
out of your hand
She’s the kind of woman
That will
Take your money
And spend it on
Another man

The girl’s got bad blood
The girl’s got bad blood

I know her sister, lord,
She lives across the
Street from me
A-peeky-peeky
Yes, I know her mother
And it runs
In the family

Talkin’ about lyin’
And cheating
She’s the lyin’,
Cheating boys
Talkin’ about me
Mistreating
The girl has a
Troubled past

The girl’s got bad blood
The girl’s got bad blood

I know her cousin and
He’s doing time in
Tennessee, a-peeky-peeky
Well, I know her mother
And it runs
In the family

Bad blood, bad blood
Bad blood, bad blood

Vídeo da semana – The Temptations, “Live in Concert at Harrah’s Atlantic City” (1983)

The Temptations ao vivo em Atlantic City (1983): infelizmente, não é a formação clássica dos anos 1960/1970, só que é uma das poucas opções para assistir à banda ao vivo, em um show completo

The Temptations ao vivo em Atlantic City (1983): infelizmente, não é a formação clássica dos anos 1960/1970, só que é uma das poucas opções para assistir à banda ao vivo, em um show completo

Topei com essa raridade aí. Infelizmente, não é a formação clássica do The Temptations dos anos 1960/1970, mas sim uma mistura de membros originais e novos (David Ruffin, o vocal solo que marcou época, por exemplo, não está aí), só que é uma das poucas opções para assistir à banda ao vivo, em um show completo. Concerto gravado em 1983 em Atlantic City. R&B e doo-wop da melhor qualidade.

Time capsule – Dion and the Belmonts – “I Wonder Why” (1958)

Dion and the Belmonts: doo-wop do bom direto do túnel do tempo

Dion and the Belmonts: doo-wop do bom direto do túnel do tempo

Dion and the Belmonts – I Wonder Why (1958)

Dont’ know why I love you like I do, don’t know why I do.

Don’t know why I love you, don’t know why I care
I just want your love to share

I wonder why, I love you like I do
is it because I think you love me too
I wonder why, I love you like I do, like I do.

I told my friends that we would never part
they often said that you would break my heart
I wonder why they think that we will part, we will part

When you’re with me, I’m sure you’re always true
when I’m away, I wonder what you do
I wonder why I’m sure you’re always true, always true

don’t know why I do.

Arqueologia sonora – The Platters

The Platters: o elo perdido entre o doo-wop e o rock n' roll

The Platters: o elo perdido entre o doo-wop e o rock n’ roll

O que dizer de um grupo como The Platters? Eles são o elo perdido entre o doo-wop/R&B e o rock n’ roll. Duvide de qualquer um que não se emocionar ouvindo um dos clássicos deles. E chega de conversa – vamos ouvir e nos arrepiar com o sons atemporais desse conjunto vocal que tem seu lugar garantido no espaço-tempo, seja qual for a época.


Time Capsule – The Elegants – “Little Star” (1957)

The Elegants – “Little Star” (1957)

“Where are you little star?

(Where are you?)

Whoah-oh-oh-woh-oh, ratta-ta-tata, too-oo-ooo.

Whoah-oh-oh-woh-oh, ratta-ta-tata, too-oo-ooo.

Twinkle, twinkle little star.

How I wonder where you are.

Wish I may, wish I might,

Make this wish come true tonight.

Searched all over for a love.

You’re the one I’m thinkin’ of.

Whoah-oh-oh-woh-oh, ratta-ta-tata, too-oo-ooo.

Whoah-oh-oh-woh-oh, ratta-ta-tata, too-oo-ooo.

Twinkle, twinkle little star.

How I wonder where you are.

High above the clouds somewhere,

Send me down a love to share.

Whoah-oh-oh-woh-oh, ratta-ta-tata, too-oo-ooo.

Whoah-oh-oh-woh-oh, ratta-ta-tata, too-oo-ooo.

Whoa, uh-oh-oh-oh-oh-oh.

Oh, there you are, high above.

Oh-oh, God, send me a love.

Oh, there you are. lighting up the sky,

I need a love, oh-me, oh-me, oh-my.

Twinkle, twinkle little star.

How I wonder where you are.

Wish I may, wish I might,

Make this wish come true tonight.

Whoah-oh-oh-woh-oh, ratta-ta-tata, too-oo-ooo.

Whoah-oh-oh-woh-oh, ratta-ta-tata, too-oo-ooo.

Oh-ra, ta, ta.

Ooo-ooo-ooo-ooo-ooo-oooooo.

(Oooooooooo.)

There you are little star!!!”

Originais & Originados – Sue Thopson x The Duprees x The Misfits x Carla Bruni – “You Belong to Me”

Sue Thompson: romantismo atemporal

Sue Thompson: romantismo atemporal

Ah, o romance! Só ele (e muita falta de criatividade) pra fazer uma canção atravessar cinco décadas e ser repaginada de várias maneiras. “You Belong to Me” é uma baladinha melosa e minimalista, lançada originalmente por Sue Thompson em 1952, mas que foi revisitada por gente tão diferente quanto The Duprees (doo-wop), The Misfits (punk rock), com participação de Ronnie Spector, e Carla Bruni (francesismo).

ORIGINAL – SUE THOMPSON (1952)

ORIGINADA – THE DUPREES (1962) 

ORIGINADA – THE MISFITS (2003)

ORIGINADA – CARLA BRUNI (2008)