Lista – As dez músicas mais sexy dos Beatles

The Beatles

The Beatles: How you doin’?

Um amigo disse, uma vez, ficar triste por não conseguir fazer sexo escutando Beatles. “Acho que é uma prova de que o mundo é justo. Caso contrário, Beatles seria perfeito para tudo”, filosofou. Bem, a lista a seguir não é exatamente uma tentativa de provar que ele ainda não tentou do jeito certo, mas não pude deixar de me lembrar desse papo quando tive a ideia para esse post.

No geral, concordo que Paul e John, como compositores/performers/personas, são tão sexy quanto Carlitos (aquele) e Jesus (este), pra citar dois personagens geniais, fictícios, revolucionários e tão sensuais quanto um tubo de creme dental. A libidinagem sempre ficou mesmo por conta dos Stones. However, os besouros têm, sim, sua dose de sacanagem sonora (voluntária ou não).

Eis minha tentativa de provar: as dez músicas mais sexy dos Beatles!

OBS: Post originalmente publicado por mim – e amplamente debatido pelos leitores – no blog Cotidiano Gonzo. Texto republicado com algumas pequenas alterações, incluindo uma ligeira modificação na seleção de canções escolhidas para figurar nessa lista.

—-

10-) Girl

Romântica, pra criar um clima de começo. E esses “suspiros” depois de cada “Oh, girl“, hein?

09-) And I Love Her

Ok, essa até o Robertão gravou, é piegas e etc. Mas… Funciona.

08-) Anna (Go to Him)

Apesar de, na letra, mandar a garota embora, tem um balanço que contagia. Ainda tá leve…

07-) Baby, It’s You

Passe tranquilamente os “sha la la la lala la” e você vai ver que a coisa esquentou. “Can’t help myself!

06-) All I’ve Got to Do

Estariam os rapazes de Liverpoll descobrindo, a essa altura, o que acontece quando se sussurra certas coisas no ouvido de alguém?

05-) Oh! Darling

Sir Paul McCartney pronto pra um “make up sex“?

04-) While My Guitar Gently Weeps

E não é que até o George deu uma dentro (sem trocadilho)? Acho que a intenção não era bem essa quando ele escreveu “how to unfold your love“, mas…

03-) I Want You (She’s So Heavy)

I want you. I want you so bad. I want you. I want you so bad it’s driving me mad, it’s driving me mad”. Acho que a essa altura ele já deixou claro que – apesar de qualquer conotação política possível de se colocar aí – se trata de um caso grave e evidente de hot pants.

02-) Come Together

Um caso para se olhar a letra com um pouco mais de criatividade do que o habitual e, principalmente, se concentrar no som. Combinação perfeita de baixo, bateria e “shhhh!“. “Come together, right now, over me!

01-) Helter Skelter

Infelizmente, a campeã sempre vai carregar uma história triste (se não conhece, procure saber, depois), mas esse proto heavy metal não poderia ser mais adequado. Intenso, suarento, explosivo.

When I get to the bottom 
I go back to the top of the slide 
Where I stop and turn 
and I go for a ride 
Till I get to the bottom and I see you again 
Yeah, yeah, yeah 
Do you don’t you want me to love you 
I’m coming down fast but I’m miles above you 
Tell me tell me come on tell me the answer 
and you may be a lover but you ain’t no dancer

Lista – As 5 melhores canções doo-wop de todos os tempos

The Coasters

Tenho escutado muito doo-wop ultimamente. E, sem querer soar clichê ou parecer que tenho 80 anos, realmente não existem mais músicas como estas hoje em dia.

Achei uma pequena definição do gênero, que talvez ajude os incautos:

“Doo-wop era um dos gêneros mais populares de rock & roll e R&B no final dos anos 50. Os artistas de d00-wop eram grupos vocais, em que cada cantor era responsável por uma parte, que se relacionava com a dos outros. Frequentemente, os backing vocals cantavam palavras sem sentido, apenas como ritmo, e o nome do gênero deriva dessa prática. A maioria dos grupos de doo-wop começou como bandas “a capella”, se apresentando sem acompanhamento instrumental. Os singles de doo-wop inspiraram inúmeros adolescentes a formar seus próprios grupos “a capella”, embora a maioria destes nunca tenha gravado nenhum disco. Apesar de sua origem “a capella”, alguns discos de grupos de doo-wop foram feitos com acompanhamento instrumental. O doo-wop sumiu no início dos anos 60, apesar de sua influência ter sido sentida por toda a música pop das décadas seguintes”.
*fonte: AllMusic Guide (em tradução livre)

Como não tenho nada melhor pra fazer, resolvi colocar aqui as 5 melhores canções de doo-wop de todos os tempos! De acordo com os meus próprios critérios, é claro!

O doo-wop SOBREVIVE!

Enjoy!

5.The Skyliners – Since I Don’t Have You


Essa é conhecida de muita gente, por conta de uma versão feita pela banda capitaneada pelo ruivo mais escandaloso que já pisou este planeta. Fora o solo de guitarra matador, no entanto, prefiro a original.

4. The Marcels – Blue Moon

Bom, essa foi gravada até pelo Rei. Já foi tema de novela aqui no Brasil e etc. As onomatopéias da introdução matam qualquer um.

3. The Penguins – Earth Angel

Na minha opinião, uma das mais bonitas. “I’m just a fool, a fool in love with you”. Reparem na coreografia. Contida, porém eficiente.

2. The Coasters – Poison Ivy

Quer uma metáfora melhor pra falar de uma mulher “daquelas” que uma hera venenosa? “She’ll really do you in, if you let her get under your skin”. Teve até uma versão da Rita Lee por aqui, mas nem vale o link. Google se você tem tempo a perder.

1. The Temptations – My Girl

Hul! Acho que nem preciso explicar a razão de esta ser a número 1.

“Hours Concours” – The Platters – Only You

Os mestres do doo-wop. Nem podem entrar num “Top 5”. Não seria justo.

Menção Honrosa – The Contours – Do You Love Me?

Não é exatamente doo-wop, já é quase rock, muito mais selvagem e dançante. Mas é DO BALACOBACO, então, quem se importa? Saca a energia do baixinho. E que voz, hein?

Originalmente publicado por mim no Cotidiano Gonzo.