Originais & Originados – Sly & the Family Stone (1971) x Tribalistas (2002) – “Family Affair”/”Já Sei Namorar”

Sly & the Family Stone nos anos 1970: "Family Affair" virou "Já Sei Namorar"?

Sly & the Family Stone nos anos 1970: “Family Affair” virou “Já Sei Namorar”?

A história a seguir poderia me render mais um Time Capsule, por um lado, e um É ruim, mas eu gosto, por outro. Quem sabe mais pra frente? Bem…

Quando foi que você imaginou ouvir Sly & the Family Stone e Tribalistas na mesma frase? Pois aconteceu. Acompanhe.

Em 2002, os cantores e compositores brasileiros Marisa Monte, Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes se reuniram numa espécie de “supergrupo” tupiniquim, os Tribalistas, e lançaram seu primeiro e único disco. Tribalistas (2002; EMI) vendeu mais de 2 milhões de cópias com sua mistura de música brasileira, pop e eletrônica e emplacou pelo menos três hits, executados à exaustão em rádios, programas de TV e eventos. O mais popular entre eles, a grudenta “Já sei namorar“, no entanto, além de ajudar nas vendas do álbum, acabou criando uma baita dor de cabeça pra Monte, Brown e Antunes.

Acontece que, em 2003, pouco depois do lançamento de Tribalistas, começaram a perceber supostas semelhanças entre o maior sucesso do trio e um outro grande hit do passado, “Family Affair“, lançada em 1971 pelo grupo norte-americano de funk, rock e soul Sly & the Family Stone em seu famoso álbum There’s a Riot Goin’ On. Uma notícia da época dá conta de que a Sony Music, então detentora dos direitos da banda americana no Brasil, chegou a entrar com um processo contra o trio brazuca e a gravadora EMI. Não sei dizer, no entanto, qual foi o fim desse imbróglio jurídico.

Comparando as canções, definitivamente dá pra perceber uma semelhança, principalmente na melodia e andamento do vocal no início de ambas, mas não sei dizer se houve plágio, inspiração, referência, homenagem ou qualquer coisa do gênero. Será que foi mera coincidência? Ouça as músicas abaixo e deixe sua opinião. Esse vídeo, que coloca trechos das duas músicas em sequência, também pode ajudar. E aí?

ORIGINAL – SLY & THE FAMILY STONE – FAMILY AFFAIR (1971)

ORIGINADA – TRIBALISTAS – JÁ SEI NAMORAR (2002)

Originais & Originados – Jorge Ben x Rod Stewart – “Taj Mahal” / “Da Ya Think I’m Sexy”

Jorge Ben em 1972: "Tê Tê Tê, Têtêretê" virou "If you want my body and you think I'm sexy Come on sugar let me know" na boca de Rod Stewart

Jorge Ben em 1972: “Tê Tê Tê, Têtêretê” virou “If you want my body and you think I’m sexy come on sugar let me know” na boca de Rod Stewart

Ok, esse não é exatamente um caso de composição original e sua(s) versão(ões) – oficialmente creditadas ou não. Trata-se, na verdade, de um dos casos mais famosos de (suposto) plágio da música pop mundial. Em 1972, sob o sol escaldante das terras tupiniquins, Jorge Ben lançava o semi-homônimo Ben e, com ele, um dos mais famosos hits de sua prolífica carreira, “Taj Mahal”. A música, que narra “a mais linda história de amor que me contaram e agora eu vou contar, do amor do príncipe Shah-Jahan pela princesa Mumtaz Mahal”, ainda ganhou uma nova roupagem gravada pelo próprio pai do samba-rock (ou samba-jazz como preferem alguns) para o álbum Solta o Pavão (1976). Até aí pouca novidade pra quem nasceu no País Tropical.

Acontece que, em 1978 (ou seja, seis anos após o lançamento da canção de Ben), sai Blondes Have More Fun, nono disco do ex-vocalista da banda de Jeff Beck e do Small Faces, o roqueiro escocês Rod Stewart. O álbum marcou a passagem definitiva do artista para o mundo do pop/disco e vendeu mais de 14 milhões de cópias no mundo todo, puxado pelo sucesso de faixas como a divertida “Da Ya Think I’m Sexy” e seu refrão contagiante. Mas aí o bicho pegou. “Peraí, já não ouvi essa melodia em algum lugar antes?”, devem ter pensado algumas centenas de fãs de Stewart e do nosso Jorge Ben. Pois é. Eis que o “Tê Tê Tê, Têtêretê (ad eternum)” de Ben virara “If you want my body and you think I’m sexy / come on sugar let me know /If you really need me just reach out and touch me /come on honey tell me so, tell me so baby” na boca de Stewart.

Coincidência? Inspiração? Cópia descarada? Não se sabe. Mas, Ben (que também teve que, eventualmente, mudar de nome artístico por questões semelhantes a essa) meteu um processo e muito provavelmente teria ganho de causa, só que acabou sem levar um tostão. Isso porque, no fim da pendenga, Stewart – que negou a cópia desde o início – acabou jogando a culpa no co-autor da música, o baterista Carmine Appice, e cedeu os lucros do hit ao Unicef em um show beneficente na sede da ONU, em Nova York.

Bom, pelo menos ganharam as criancinhas. E nós, que, ao invés de uma grande canção, acabamos com duas (embora eu tenha uma favorita disparada entre elas – consegue adivinhar qual?).

Solta o som!

ORIGINAL – JORGE BEN – TAJ MAHAL (1972/1976)


PLAGI…, QUER DIZER, ORIGINADA – ROD STEWART – DA YA THINK I’M SEXY (1978)