Da estante – Some Time in New York City (1972), John Lennon & Yoko Plastic Ono Band

Some Time in New York City: disco extremamente político e subestimado de John Lennon

Some Time in New York City: disco extremamente político e subestimado de John Lennon

Só pode ser a birra com a Yoko. De que outra forma um disco tão foda pode ser tão subestimado até hoje? Sometime in New York City, lançado em 1972, é o terceiro disco de John Lennon depois da separação dos Beatles, e um dos mais políticos (talvez O mais) de sua carreira. Auge da parceria entre Lennon e sua mulher Yoko Ono, o álbum traz composições angustiadas e explicitamente anti-status quo (um reflexo da época conturbada em que John lutava contra as tentativas de sua deportação dos EUA, promovidas pelo governo Nixon). Obviamente que é preciso ter um paladar musical mais maduro para entrar na vibe gritona de Yoko, principalmente no lado mais experimental do disco. However, Sometime in New York City traz lindos e poderosos momentos de rebeldia, como “Born in a Prison” (de Yoko) e a polêmica “Woman is the Nigger of the World” (que chegou a ser banida de muitos lugares pelo uso da “N word”). Definitivamente um trabalho digno de um ex-Beatle, principalmente se tratando de John Lennon, o mais interessante entre o quatro rapazes de Liverpool.